O ambiente de negócios no Brasil sempre foi complexo. Particularmente, no triênio 2014-2016, com grandes flutuações em taxas de câmbio, preços de commodities, tarifas e impostos e retração do consumo, tivemos um aumento dessa complexidade. Novos mecanismos de Gestão se fazem necessários além daqueles fornecidos pela nossa velha amiga “Contabilidade”.

 

Em ambientes de negócios complexos, a Fluidez Financeira do CAIXA é muito mais importante para a saúde dos negócios do que o lucro apurado pela contabilidade. Precisamos saber dos resultados financeiros da ação comercial “aqui e agora”. Temos recursos para tocar a operação hoje, na próxima semana, mês, meses? Não podemos esperar o fim do mês ou o fim do ano para apuração de resultados e tomada de decisões.

 

 

A Metodologia de Gestão EBMS sincroniza o Caixa com o Lucro antes da Depreciação (EBITDA) mostrando aos Sócios e Gestores do negócio o passo a passo da formação do Lucro e do Capital (Receitas, Custos, Estoques, Créditos Cedidos, Creditos Recebidos…) envolvidos nessa formação. É uma solução que responde às necessidades dos Sócios e Gestores no Planejamento de Ciclo Fechado apresentado pelos autores Kaplan e Norton em “The Execution Premium”.

 

Com esta metodologia, associada a conceitos de Inteligência de Negócios (BI) e de Big Data, desenvolvemos um conjunto de serviços e uma plataforma de software – a solução EBMS – que orientam os donos e os gestores de uma empresa para a modelagem dos seus negócios, gerando um Planejamento Orçamentário de referência (com a contribuição de cada uma das áreas operacionais-) que passa a ser utilizado para medir (diariamente, semanalmente, mensalmente…) os resultados dos negócios realizados.

 

Em funcionamento harmônico com os sistemas de gestão da empresa (ERP e sistemas afins), com EBMS sincronizamos o Planejamento com a Operação, gerando informações em “tempo real” que agilizam a análise de negócios e a tomada de decisões por parte dos Sócios e Gestores da empresa.

 

Em resumo, EBMS permite o Planejamento, Análise e Controle da formação do lucro e do uso do Capital ($), sempre de olho na Fluidez Financeira do Caixa, gerando informações claras e precisas para os Sócios e Gestores da empresa. Sincroniza Estratégias de negócios – desenvolvidas pelos Sócios e Gestores da alta direção – com cada uma das áreas operacionais da empresa (gerentes e responsáveis pela operação). Abrange toda a Operação da empresa: do Planejamento e Controle da ação Comercial ao Planejamento e Controle do Fluxo de Caixa diário.

 

 

Na Figura-1 abaixo temos um exemplo onde, apesar de o EBITDA ser positivo a cada mês, num intervalo de 24 meses, acumulando R$62M no período, o CAIXA (S1) sofreu variações consideráveis, chegando a acumular R$37M negativos no 5º mês do período analisado. Apesar da geração de lucros consistentes mês a mês, buracos de CAIXA como estes podem quebrar a empresa se não tiverem suas causas reais detectadas e ações corretivas tomadas a tempo. Isto demonstra o que Kaplan e Norton, em “The Execution Premium” apontam como falta de Sincronia entre Estratégia e Operação.

 

Neste exemplo, a empresa começou a perder a Sincronia Estratégia-Operação no mês 2 do período analisado. Com vendas abaixo do planejado e com demanda reprimida, foram elaborados estímulos de vendas que dessincronizaram toda a operação entre os meses 3 e 9 atingindo o seu auge no mês 4 com reflexo máximo negativo no caixa nos meses 4, 5 e 6.

 

Com a tomadas de decisões corretas a empresa passou a recuperar a Sincronia a partir do mês 6, voltando a operar em seu padrão normal de Sincronia a partir do mês 13.

 

Um ano perdido (do mês 2 ao mês 13)? De maneira alguma! Com informações adequadas e ações corretivas no tempo certo, Sócios e Gestores recuperaram a sincronia dos negócios, estando hoje num patamar superior de excelência na gestão dos seus negócios.

 

FIGURA 1: EBITDA Versus Caixa (S1) Acum. 24 meses: EBITDA positivo e Crescente não Garante Fluidez Financeira de Caixa.

 

 

Considerando que a empresa recupere a sincronia entre a Estratégia e a Operação, o EBITDA e S1 (Caixa) acumulados tenderão a ficar próximos um do outro, com diferenças devido a flutuações nas receitas de vendas ao longo do período, conforme mostra a Figura-2.

 

Entretanto,mesmo Sincronizada e navegando em “Céu de Brigadeiro”, é muito importante o estado contínuo de vigilância sobre o uso do capital e o fluxo de caixa, na medida em que novas estratégias são inseridas no cenário de negócios da empresa. Como vimos acima, mudanças na estratégia, dessincronizadas da operação, podem causar alterações bruscas no Capital envolvido na operação, levando à “Morte Súbita” da empresa.

FIGURA 2: EBITDA Versus Caixa (S1) Acum. : Estratégia e Operação Sincronizadas a partir de Fev/2015

 

 

Existem diferentes versões do EBMS em função de diferentes modelos de Negócios:

 

EBMS-i: Para atender aos modelos de negócios da Indústria e Comércio e;
EBMS-c: Para atender aos modelos de negócios das empresas de Contratos.

 

Em ambos os casos, a Metodologia e a Plataforma de Software EBMS suportam os sócios e gestores da empresa no Planejamento Estratégico e Controle Operacional dos seus negócios, de olho na estrutura de Capital e no Fluxo de Caixa.

Tenha mais informações sobre o EBMS!